No dia 1º de Junho, falamos aqui em nosso blog sobre a comemoração da Semana Mundial do Meio Ambiente. A celebração dessa semana termina hoje, dia 05 de Junho, no Dia Mundial do Meio Ambiente. O Dia Mundial do Meio Ambiente também foi uma consequência da Conferência de Estocolmo, realizada em 1972, durante uma discussão sobre o Meio Ambiente Humano, feito pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Essa data tem o papel de chamar atenção de todas as esferas da população para questões ambientes e a preservação dos recursos naturais. Desde então, iniciou-se uma mudança no padrão de pensamento a respeito de assuntos sobre o meio ambiente, estabelecendo assim princípios para orientar a política ambiental em todo o planeta. Na época, ainda era muito comum o pensamento de que os recursos naturais eram inesgotáveis.

As mudanças propostas, como diminuição da emissão de gases poluentes, a redução da constante destruição de habitat, é algo que deve ser trabalhado com atenção por todos, desde governantes dos diversos países, como pela mudança de simples hábitos da população. Para que essas mudanças gerem resultado em nosso ambiente, devemos ter claro que essas mudanças, tais como redução do desperdício de água (precioso recurso que passou a ser mais valorizado após a crise hídrica em São Paulo nos anos de 2014 e 2015), luta contra o desmatamento e o consumo exagerado de recursos naturais, atenção ao descarte de embalagens e resíduos, etc. Estas e outras atitudes, devem ocorrer constantemente e, não apenas nesta semana ou no Dia Mundial do Meio Ambiente.

Toda profissão exige comportamento ético e analisando cada etapa do trabalho, é possível identificar como minimizar o impacto ambiental implícito em tarefas, sejam elas simples ou complexas. De acordo com a ABNT 2004 (Associação Brasileira de Normas Técnicas), os produtos, em qualquer fase de seu ciclo de vida, são causadores de consequências ambientais. Desde a exploração da matéria prima, até o descarte da embalagem, é possível estudar em quais etapas existem chances de minimizar efeitos negativos ao meio ambiente. O movimento que se iniciou com força da lei, se transformou em iniciativa voluntária das empresas mais competitivas em seus respectivos mercados de atuação. A incorporação de valores sócio-ambientais responsáveis é hoje questão estratégica. A adoção de produtos não poluentes no processo produtivo, redução de emissão de gases contaminantes como o dióxido de carbono e a dioxina, implementação de ISOs 14000, reflorestamento, fabricação mais limpa, ecodesign, incorporação dos três Rs (Reduzir, Reutilizar e Reciclar), redução do gasto de energia do processo como um todo, passou a ser amplamente difundida como meio de diferenciação de competitividade, o chamado ambientalismo estratégico.

Ignacy Sachs (1927, Economista Polonês, naturalizado francês), defende várias dimensões da sustentabilidade e sua obra merece aprofundamento. Para citar algumas delas de forma breve:

1 – Sustentabilidade Ecológica (Uso de recursos, Consumo, Geração de resíduos, capacidade do planeta de nos sustentar e proteção ambiental)
2 – Sustentabilidade Econômica ( auto gestão, valorização do ser humano em detrimento do capital)
3 – Sustentabilidade Social (enquanto houver miséria, não existe sustentabilidade)
4 – Sustentabilidade Política (participação política e democrática, necessária a sustentabilidade)
5 – Sustentabilidade Espacial (relacionada com a utilização de áreas rurais e redução da superpopulação de áreas urbanas, proteção da biodiversidade)
6 – Sustentabilidade Cultural (sistemas integrados agrícolas que busquem continuidade cultural, do ecossistema e local).

Faz parte do nosso DNA atuar em conjunto com nossos colaboradores de forma consciente, reduzindo o desperdício de recursos e sediar a organização de eventos de forma sustentável e respeitando a natureza. O Reciclar atua com eventos corporativos e sociais desde 1989, auxiliando empresas e pessoas a proporcionarem a seus convidados momentos inesquecíveis em eventos com agradável contato com a natureza. Fale conosco e solicite seu orçamento.

Referências: Brasil Escola, Aulas de Engenharia Univesp professoras: Érica Mendonça e Patrícia Silva Leme.
SACHS, I. Estratégias de transição para o século XXI. In: BURSZTYN, M. Para Pensar o Desenvolvimento Sustentável. São Paulo: Brasiliense, 1993. p. 29-56.

Dia Mundial do Meio Ambiente
Classificado como:                

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *