Empregabilidade na terceira idade é assunto urgente.
A população mundial envelhece em ritmo acelerado e iniciativas para abraçar os idosos em postos de trabalho que prolonguem sua qualidade de vida surge como necessidade. Com o perdão do trocadilho, é preciso amadurecer para usar melhor a experiência de gente na melhor idade.

O publicitário Washington Olivetto ganhou um de seus leões de Cannes, com uma campanha de utilidade pública chamada Homem com mais de 40 anos. Vale a pena ver:

 

Uma frase ecoa na campanha: “Nenhum País pode se dar ao luxo de desperdiçar o potencial de seus homens mais experientes”.

A tendência é que a faixa etária de aposentados de hoje, diga não à aposentadoria amanhã, e o empregador de amanhã diga sim para a contratação dos que, a essa altura, já estariam aposentado. Isso se o mundo não for dominado por robôs, como cogitamos aqui.

Portugal é um dos países da Europa que sofre com a falta de emprego. O idoso sente ainda mais que os jovens. O Governo de Lisboa se comprometeu com uma estratégia, relacionada com a estratégia Europa 2020 (Europe 2020 Strategy), à qual um dos cinco pontos chaves é o acordo de implementar um aumento de empregos para pessoas na faixa entre 20-64 anos para 75% até 2020.

A Silver Economy promete enriquecer empreendedores e garantir postos de trabalho a quem se dedicar a ela. Trata-se da camada de consumidores da terceira idade, como falamos nesse post. Na outra ponta estão os trabalhadores da terceira idade. Segundo o IBGE, a expectativa de vida do brasileiro em 2050 será de 81 anos de idade. Dez anos a mais do que atualmente. De olho nessa tendência que promete dobrar o número de idosos no país em um futuro não tão distante, empresas já estão mirando algumas de suas contratações estratégicas nessa fatia de mão de obra experiente. É o caso do Grupo Pão de Açúcar, que disponibiliza em seu site pré-requisitos para candidatos com faixa etária acima de 55 anos: Desejável possuir disposição, bom relacionamento com o público e residir nas proximidades da loja de seu interesse.

O programa de recrutamento de profissionais na terceira idade tem como pilar agregar valor à companhia, especialmente porque surge uma relação de amizade e confiança entre os clientes e o idoso, em plena atividade, refletindo na fidelização do público.
Voltar ao mercado de trabalho, após ficar afastado um tempo, reconquistando seu lugar ao sol pode significar uma injeção de motivação e despertar gigantes adormecidos que dão tudo de si, como se estivessem no primeiro emprego. Com a vantagem de agora, saberem muito mais sobre a vida, com lições que não se aprendem na escola.

Empregabilidade para a terceira idade. Imagem Shutterstock

De acordo com a profissional de Recursos Humanos, Aline Cintra, consultoria é outra possibilidade bastante indicada para elevar a empregabilidade da terceira idade. Isto, porque pessoas experientes são flexíveis, possuem conhecimento e maturidade para discutir temas com clientes internos ou externos. “O que vemos no mercado são muitas pessoas da melhor idade em posições em que a experiência é referência em diversos assuntos. É um aspecto muito importante para ocupar a posição” – Reforça Aline.

Os idosos de hoje, Babyboomers, conquistaram um patrimônio e certo grau de estabilidade. Vivem um ciclo de vida ao qual é possível se dedicar na construção de uma sociedade melhor, mais justa, se colocar à disposição da comunidade sua experiência e conhecimento e praticar a criatividade, estimular reflexões e o conhecimento ao seu redor.

O IBGE aponta também que 35% dos idosos (acima de 60 anos), continuam trabalhando, mesmo recebendo benefício da aposentadoria. Seja para se manterem ativos e/ou para complementar a renda, independentemente da classe social.

É preciso que as empresas, especialmente as grandes, tenham em vista não somente o preenchimento de cotas de trabalhadores da terceira idade como responsabilidade social, mas também promovam a elevação da qualidade de vida dessa camada da população, que pode contribuir e muito com a produtividade corporativa. Quanto antes as empresas estiverem engajadas nessa missão de oferecer mais empregabilidade para a terceira idade, menor será o impacto social decorrente do rápido envelhecimento da população que culmina com a redução da taxa de natalidade e um aumento no número de idosos nos próximos anos.

Os idosos, ou melhor dizendo, adultos maduros, trarão contribuições importantes para o processo produtivo, incluindo aprendizagens funcionais e transmissão de conhecimentos adquiridos ao longo de sua vida laboral. Limitação física não impede tal produção preciosa. Deve ser considerada exemplo de persistência e aguçar a consciência dos mais jovens sobre a fragilidade do ser humano que merece respeito.

 

Por Bruno Divetta

Fontes:
VALENTINI, Maria Terezinha Pacco – UNICENTRO
OLIVEIRA, Rita de Cássia da Silva – UEPG
RHEmpregabilidade.blogspot.com.br
Eesc.europa.eu

Empregabilidade na terceira idade

2 ideias sobre “Empregabilidade na terceira idade

  • 10 de outubro de 2017 em 10:35 am
    Permalink

    Tenho 63 anos e trabalho desde sempre na área de TI. Sou muito atualizado e sou especialista em processos, metodologias e gerenciamento de projetos. O meu problema não é a experiência nos temas atuais. O problema é o preconceito dos recrutadores que nem sequer cogitam a hipótese de me considerar para as oportunidades por causa da idade.

    • 10 de outubro de 2017 em 3:33 pm
      Permalink

      Olá prezado Herminio. Agradecemos por compartilhar seu comentário. É realmente um desperdício um recrutador não levar em conta toda a sua experiência como fator de grande competitividade para seu perfil profissional. Desejamos que mais e mais pessoas se conscientizem do imenso valor que profissionais como você trazem para as corporações. Se é que estamos gabaritados para lhe dar algum conselho, não desanime e continue se atualizando como vem fazendo, pois as oportunidades certas surgirão para que você faça toda a diferença. Um grande abraço e parabéns por sua trajetória! – Bruno, Reciclar Eventos

Os comentários estão desativados.