‘Silver Economy’ ou ‘Economia de Prata’ é o termo que se refere a negócios com a terceira idade.
A cada dia, aumenta o potencial de serviços e produtos dirigidos a esse promissor e crescente nicho de mercado.

 silver economy Economia de prata

A população de jovens diminui ano após ano em vários países. A idade avançada predomina como tendência no mundo. De acordo com estimativas de várias entidades de pesquisa, entre as décadas de 2050 e 2060 a população mundial será 30% composta de idosos (hoje gira em torno de 14% a 18%). E dolorosamente, como estamos presenciando aqui no Brasil com a afamada reforma da previdência, o governo da indícios de que não pretende assumir gastos com pensão, cuidados com saúde, que passarão do setor público para o privado. Inúmeras atividades prometem cuidar desse nicho de mercado crescente, batizado “Silver Economy”. Silver, de cabelos brancos/ platinados, pegou?

Eles já estão com os filhos formados, muitos possuem um imóvel e estão com a vida estabilizada, motivados a aproveitar a vida, contribuir socialmente e profissionalmente com a sociedade, tendo como valores solidariedade e justiça. A maioria das empresas, no entanto, ainda voltam seus olhares aos millenials, e não à aqueles com mais de 45 anos, como os babyboomers e geração X.

A expectativa de vida mundial cresce em média dois meses por ano. A esperança de vida dos brasileiros subiu de 75,2 anos em 2014, para 75,5 anos, em 2015. Na prática, estamos na frente, ganhamos 3 meses e 14 dias, segundo o IBGE.

Estão surgindo no ritmo crescente da Silver Economy, produtos e serviços que atendem às mudanças físicas que afetam a tomada de decisão de pessoas com mais de 50 anos, como: cegueira, dor na articulação, surdez, esquecimento, vitaminas para memória. Produtos e serviços que atendem essa nova etapa de vida, atrelados ao pagamento de um financiamento imobiliário, “desmamar” as crianças, em alguns casos, o divórcio ou a mudança de parceiro, hábitos envolvendo sono, nutrição, exercícios, e principalmente aproveitar a vida.

Esse grupo de cidadãos, conhecido como babyboomers (ou Baby boomers), viveu a criação e desenvolvimento da classe média. Desejaram e lutaram em sua juventude por um estilo de vida melhor que o de seus pais, em busca de casa própria, trocar de carro de tempo em tempo, ter direito a férias, e dai em diante.

 

Fonte: internet marketing.
65% dos Babyboomers possuem um laptop. 54% dos Babyboomers possuem smartphone. 46% dos Babyboomers possuem tablet.

No entanto, essa geração tem como forte marca uma variedade enorme de comportamento e não é mais aquele consumidor do final do século XX, a diferença latente entre gerações está ficando menos significativa, graças a ajuda da internet e dos dispositivos mobile que se tornaram verdadeira extensão de nosso corpo e memória. Eles socializam bem na era digital e ignoram a ideia antiquada de “idade”.

Diante das mudanças aceleradas que vivemos, os problemas de flexibilidade e adaptação a um cenário mutante, são iguais para todos. Independentemente da idade ou geração a que se pertença. O que muda é a maneira de enfrentar esses problemas e aprender novos conceitos, habilidades e competências que, no caso dos já amadurecidos e vividos, implica na habilidade de desenvolver novos modelos de aprendizagem para a evolução da plasticidade cerebral, seja qual for a idade.

silver economy
Em tradução livre: “Eu posso ser grisalho, mas meu dinheiro [dólares] é tão verde quanto deve ser.” Imagem: LHBS
Surge diante de nossos olhos uma oportunidade de mercado para essa nova maioria, de adultos maduros, que precisam de uma nova linguagem de relacionamento e serviços de acordo com suas necessidades e valores.

Nesse sentido, o impulso que a Silver Economy está tendo no Japão já é notório. O pesquisador Hiroyuki Murata, é empresário focado no negócio de envelhecimento ativo e pioneiro em estudos com sociedades que envelhecem. Sua empresa, Muratainc.com propõe vários exemplos de empresas japonesas e norte-americanas que estão abrindo caminho nesse mercado da Silver Economy, que Murata chama de “Business of Aging” e contempla tanto atender a população que envelhece, como oferecer posto de trabalho focado em maiores de 55 anos. A seguir, alguns exemplos citados por Murata:

Academia Curves para mulheres com idade acima de 55 anos. O circuito de exercícios com equipamentos hidráulicos tem duração de 30 minutos, é formado em círculo para estimular o contato entre as alunas e interação.

Relax the Back, loja especializada em aliviar dor nas costas e coluna cervical, além de vender camas, almofadas, cadeiras de escritório e outros móveis, para proteger as costas. Também recomendam massagistas e fisioterapeutas.

Refre-pit-Ainee, salão de beleza que oferece serviço de massagem, cuidado dos pés, maquiagem, cabeleireiro e cafeteria, tudo em um só lugar.

Mr. Manitas uma mistura de loja “faça você mesmo” com serviço a domicílio, para pequenos reparos de alvenaria e reforma direcionado a idosos que vivem sozinhos.

Yokogawa S.A. que oferece serviços de informática personalizados como reparo de hardware e software, além de treinamento com cursos para idosos.

Beacon Hill Village oferece serviço de acompanhante para ir Às compras, mas não para por aí. Realiza transporte, limpeza e oferece a domicilio o mesmo serviço de um hotel 5 estrelas, como reserva de restaurante, entrada de cinema, teatro e shows.

Mather Café Plus é um local com a proposta de não ser nem exatamente sua casa, nem seu trabalho. Chamado “terceiro espaço” é na verdade uma residência para terceira idade com cara de clube privado.

Club Anime Mikage propõe famílias de conexões frágeis, em outras palavras, é uma comunidade residencial sênior, baseada no laço intelectual em colaboração com a Universidade de Kasai.

Elderhostel – Summer Scool Senior Intellectual Camp Experience oferece aprendizado experiencial. O sistema aproveita um campus universitário existente, mas o destina a atividades focadas em idosos e permite aos participantes desenharem o próprio programa de atividades. Estimula os interesses intelectuais dos idosos por meio de conferências, oficinas, workshops, espaço para festas. (Pegando um gancho no tema eventos, o Reciclar Eventos em São Paulo serve como espaço ideal e oferece toda infraestrutura necessária para trabalhar esse promissor nicho de adultos maduros com variadas modalidades de eventos. Fale conosco para mais informações).

Além de serviços, também cresce como demanda da Silver Economy, pesquisa ao redor da oferta de produtos de automação residencial e sensores de movimento que detectam quedas, e robôs com forma humana programados para atividades de auxílio em mobilidade e cuidados do idoso, bem como, companhia.

Com os exemplos citados, é possível notar que está se abrindo um leque de oportunidades que surge com o desenvolvimento tecnológico, presente em todas as gerações na sociedade, refletindo de forma considerável na longevidade.

 

Por Bruno Divetta

Fontes:
dependence-infos.com
epc.eu
Lrocilloc.com
LHBSC/ Snapshot

 

 

 

Silver Economy. O potencial econômico do idoso.